Read our blog posts below
Man in the park

Avaliação ao aparelho auditivo UNIQUE: “É tão bom que já não preciso da minha solução osteointegrada”

Ronnie Hegelund trabalha no Departamento Informático na sede da Widex. Mas ele não trabalha só na Widex - ele também usa e depende da tecnologia que criamos todos os dias. Esta é a sua história.

O meu nome e Ronnie e nasci 4 dias antes do Natal em 1982. Trabalho diariamente para ajudar os outros a ouvir melhor enquanto funcionário da Widex. Contudo, o que a maioria não sabe, é que tecnologia dos aparelhos auditivos também veio melhorar a minha vida.

Nasci com uma audição normal mas quando tinha 5 anos de idade a minha mãe descobriu que deixara de ouvir. Ela fez o teste colocando-se por trás de mim e sussurrando,“ queres um gelado?” Quando eu não reagi, ela soube imediatamente que algo estava errado.

A minha mãe levou-me ao médico que disse que eu tinha de ser operado para descobrir o que estava errado nos meus ouvidos. Durante esta cirurgia, os médicos descobriram que eu tinha um colesteatoma, um crescimento que se desenvolve no ouvido médio e que pode destruir os ossículos do ouvido médio com o passar do tempo. Isto pode levar a uma perda auditiva severa.
A operação correu bem e voltei a ouvir normalmente. Mas logo após a operação descobrimos que também tinha um colesteatoma no outro ouvido e que iria precisar de uma segunda operação, que por sinal também correu bem. Quando era adolescente, a minha perda auditiva voltou a aparecer no meu ouvido direito. Ignorei-a durante 7 anos até obter um diagnóstico. O médico disse-me que a minha bigorna e o meu estribo haviam sido danificados. Tinha três opções:

- Ser novamente operado para corrigir a bigorna e o estribo
- Obter um Aparelho Auditivo BTE normal
- Obter um aparelho auditivo osteointegrado

O médico recomendou que usasse um aparelho auditivo osteointegrado devido ao meu tipo de perda auditiva.  A cirurgia para obter o aparelho levou cerca de uma hora e após a operação tive de esperar três meses até puder usar aparelhos auditivos. Segui o conselho do médico e passados três meses consegui ouvir normalmente pela primeira vez em sete anos. Foi um sentimento incrível!
Hoje estou a usar aparelhos auditivos Widex UNIQUE. Ainda tenho o parafuso para os meus aparelhos auditivos osteointegrados mas já não os uso. Porquê? Quando comecei a trabalhar na Widex há 5 anos atrás, decidi experimentar um aparelho auditivo normal. Rapidamente descobri que a tecnologia Widex era tão boa que já não precisava da minha solução osteointegrada. Os aparelhos auditivos retroauriculares tinham mais som natural que fez com que os meus ouvidos internos acordassem para um mundo novo de som.

Tenho muito orgulho em trabalhar para a Widex. Tenho duas paixões: tecnologia e pessoas. Ser capaz de combinar as duas no meu trabalho diário é algo de muito valioso para mim. E é ainda melhor quando se sabe que o que faço diariamente vai ter um impacto positivo em pessoas como eu. Pessoas que sofrem de perda auditiva e que procuram ouvir normalmente tal como todas as outras pessoas.

Saiba mais sobre os aparelhos auditivos Widex UNIQUE AQUI.